O papel da TV na vida das crianças e a obesidade infantil
18 de setembro de 2014 - Vera Perino

Vera Lucia Perino Barbosa, Dra. em Ciências da Saúde

A sociedade moderna rapidamente vem se adaptando aos avanços tecnológicos que interferem no estilo de vida das pessoas e, em especial, das crianças e adolescentes que passaram a ter um comportamento sedentário com horas em frente a TV.

A família é a influência mais importante na vida de uma criança, mas a televisão não está muito atrás. A televisão pode nos informar nos entreter e ensinar. Entretanto, além de levar ao comportamento sedentário, algumas coisas que a TV mostra ou ensina não é adequado às crianças. Os programas e os comerciais de TV mostram frequentemente a violência, o uso do álcool, drogas e conteúdo sexual, que não são apropriados para crianças ou adolescentes.

Para a Associação Americana de Pediatria (AAP, sigla em inglês), os pais devem limitar o tempo que seus filhos passam em frente à televisão, computador, celular ou tablet para duas horas por dia. Esse tempo não inclui, no entanto, o uso dos aparelhos para fins acadêmicos. A recomendação faz parte das novas diretrizes da entidade, apresentadas durante o encontro anual da AAP, em Orlando, Estados Unidos, e publicadas na revista Pediatrics.,2013.

Em um estudo realizado pela Universidade de Coimbra em 2013 envolvendo 17.424 mil crianças de jardins-de-infância e escolas de várias regiões do país, mostrou que a televisão tem o maior impacto no excesso de peso e no aumento da pressão arterial.

O estudo determinou a porcentagem de crianças que passam mais de duas horas diárias em frente a TV, ultrapassando os limites considerados de referência (da Academia Americana de Pediatria): 28% de meninos e 26% de meninas veem mais de duas horas de televisão por dia durante a semana. Mas, ao fim de semana, a percentagem dispara: 75% nos meninos e 74% nas meninas.
No Instituto Movere os achados não são diferentes. Um percentual expressivo de crianças e adolescentes ultrapassam 2 horas em frente à televisão. Este comportamento é encontrado tanto em crianças com excesso de peso quanto em crianças eutróficas, conforme gráfico abaixo:

Percentual de crianças e adolescentes que ultrapassam 2 horas em frente à televisão

Gráfico Percentual TV

De acordo com outro estudo feito na Universidade de Montreal, no Canadá, e publicado em 2012, quanto mais tempo uma criança de dois a quatro anos de idade passa em frente à televisão, maior o risco de acúmulo da gordura na cintura. Outra pesquisa, feita nos Estados Unidos, mostrou que há outro agravante para a saúde de criança em relação ao hábito: de acordo com o trabalho, ter televisão no quarto aumenta ainda mais o tempo em que uma criança passa em frente ao aparelho e eleva o risco de obesidade infantil.

Outros estudos mostram também que assistir à TV pode levar a um comportamento mais agressivo, menos atividade física, imagem alterada do corpo e maior uso de drogas e álcool. Sabendo como a televisão pode afetar suas crianças e definindo limites, você pode fazer com que a experiência de assistir à TV seja menos prejudicial e bem mais agradável.

As crianças e adolescentes com excesso de peso que passaram por tratamento interdisciplinar no Instituto Movere melhoraram este comportamento. No final da intervenção, 91% das crianças e adolescentes reduziram o tempo em que passam em frente à TV.

Você pode não acreditar, mas a televisão afeta de muitas maneiras a vida da sua criança. Portanto, quando sua criança sentar para assistir à TV, considere o seguinte:

Tempo – Crianças nos Estados Unidos assistem por dia 4 horas de TV aproximadamente. Assistindo a filmes e jogando vídeo game só aumenta o tempo gasto em frente à TV. Pode ser tentador usar a TV, os filmes e o videogame para manter seu filho ocupado, mas ele precisa também gastar seu tempo de outras maneiras. Brincar, ler e passar o tempo com amigos e familiares são ações bem mais saudáveis do que sentar em frente à TV.

Aprendendo – A televisão acaba afetando a aprendizagem, isto é, a forma correta para aprender. Os programas de alta qualidade podem ter um efeito positivo na aprendizagem. Os estudos mostram que as crianças na fase pré-escolar que prestam atenção a programas educacionais melhoram em testes de leitura e matemática, do que as crianças que não assistem a estes programas. Quando usada com cuidado, a televisão pode ser uma ferramenta positiva para ajudar a sua criança aprender. Para as crianças mais velhas, os programas de alta qualidade podem trazer benefícios. Entretanto, para as crianças mais novas a história é muito diferente. Os primeiros dois anos da vida são notadamente importantes no crescimento e no desenvolvimento do cérebro. Durante esse tempo, a criança necessita de uma interação positiva com outras crianças e adultos, para dessa forma, desenvolver bem a linguagem e suas habilidades sociais. Aprender a falar e brincar com os outros é mais importante do que assistir TV. Até que mais pesquisas sejam feitas sobre os efeitos da TV nas crianças muito novas, a Academia Pediátrica Americana não recomenda a televisão para crianças com menos de 2 anos de idade. Para as crianças mais velhas, a Academia recomenda não mais de uma a duas horas por o dia. Existem muitas maneiras de os pais ajudarem seus filhos a desenvolverem bons hábitos para assistir TV.

Defina limites – Defina o tempo de uso para TV, videogame e computador para não mais do que duas horas ao dia. Não deixe sua criança assistir à TV enquanto faz a lição de casa. Não coloque uma televisão no quarto do seu filho.

Planeje o que sua criança vai assistir – Em vez de ficar mudando de canal, tenha em mãos um guia para poder ajudá-lo a escolher os programas certos para sua criança. Ligue a tevê para assistir ao programa escolhido e desligue-a quando o programa terminar.

Assista à TV com seu filho – Sempre que possível, assista à TV com sua criança e converse sobre o que você está assistindo. Se sua criança for muito nova, ela não vai saber a diferença entre um show, um comercial, um desenho ou vida real. Explique que os personagens na TV não são reais. Alguns programas “baseados na realidade” podem parecer “reais”, mas a maioria deles serve para atrair a atenção dos telespectadores. Boa parte do conteúdo desses programas não é aconselhável para as crianças. As transmissões de notícias contêm também material violento ou impróprio. Se você não tiver tempo de assistir à TV com sua criança, preste atenção naquilo que ela viu para que mais tarde você possa conversar com ela. Melhor ainda, grave o programa de modo que você possa assistir com sua criança no horário apropriado para você. Pense sempre na qualidade do tempo que você passa com sua criança.

Encontre uma mensagem correta – Mesmo um programa ruim pode se tornar uma experiência de aprendizado se você ajudar sua criança a encontrar a mensagem certa. Alguns programas da televisão podem criar estereótipos de alguns povos ou pessoas. Converse com sua criança sobre o papel real das mulheres, dos mais velhos e de outras pessoas de outras raças na sociedade que não são apresentados na TV. Ensine que as pessoas, os povos podem ter maneiras diferentes de agir, mas nem por isso são diferentes de nós mesmos. Ajude sua criança aprender a ter tolerância com o outro. Lembre-se de, se você não concordar com determinada matéria, pode desligar a tevê ou, então, explicar porque não concorda.

Ajude a sua criança resistir aos comerciais – Não espere que sua criança seja capaz de resistir aos comerciais de brinquedos, doces, snacks, cereais, bebidas ou programas novos de tevê sem sua ajuda. Quando sua criança pede produtos anunciados na tevê, explique que a finalidade dos comerciais é fazer com que as pessoas queiram coisas que muitas vezes não precisam. Tente limitar o número de comerciais que sua criança vê mudando de canal ou conversando com ela nos intervalos comerciais. Você também pode gravar os programas tirar os comerciais ou comprar vídeos ou DVDS, assim ela assistirá programas educativos sem ser bombardeada por comerciais.

Procure vídeos ou DVDs de qualidade para suas crianças – Há muitos videos e DVDs de qualidade disponível para as crianças que você pode comprar ou alugar. Verifique antes de comprar ou de alugar programas ou filmes que possam acrescentar algo para sua criança. Essas informações estão disponíveis em livros, jornais e também na Internet.

Ofereça outras opções – Não deixe que a tevê transforme-se em um hábito para sua criança. Ajude-a encontrar outras coisas para fazer com seu tempo, tal como jogar, ler, aprender um esporte, um instrumento ou usar esse tempo para ficar com família, amigos ou vizinhos.

Seja você um bom exemplo – Você é o modelo mais importante na vida da sua criança. Limitar seu próprio tempo assistindo à TV, escolher programas com cuidado que ajudarão a sua criança a fazer o mesmo.

Expresse sua visão sobre o que você está assistindo – Quando você gosta ou não gosta de algo que você vê na televisão, faça com que você seja ouvido. Escreva para o canal de tevê, à rede ou ao patrocinador do programa. Os canais, as redes e os patrocinadores costumam prestar atenção no que seu público gosta ou se está insatisfeito. Se você achar que um comercial está sendo desonesto, escreva o nome do produto, em que canal passou e em que horário, e descreva sua preocupação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>